Eu me inquieto, tu te inquietas

12:20


Comecei e recomecei milhões de vezes um texto que pudesse encorajar a mim mesma toda vez que o pensamento  - isso não vai dar em nada – tomasse conta de mim. Depois de incontáveis escreve e apaga não cheguei a nenhuma certeza excepcional, apenas a convicção de que existem coisas que só eu posso fazer por mim. Não importa o que, não importa em que fase da vida, determinados passos só poderão ser dados por mim, afinal, só eu sei o quanto quero a chegada.

Eu não imaginava que começar planejar a maternidade fosse criar um rebuliço tão grande dentro de mim. Questionamentos? Vários. Respostas? Quase nenhuma. É um sem fim de dúvidas e reflexões naturais e muitas outras que criamos e que não produzem nada além de ansiedade e auto cobrança.

Depois, eu me dei conta de que a inquietação é essencial para o movimento. Estar inquieta é o primeiro passo para que eu me movimente. Sabido isso, basta acertar o sentido.

Um brinde à inquietude.

You Might Also Like

0 comentários

O que cê achou?