Rafaela Carvalho além da neblina

10:03

Se você é mãe e conectada às redes sociais, possivelmente já esbarrou com algum texto da Rafaela Carvalho. A escritora é uma das mais repostadas na internet

Mãe de quatro filhos e autora de quatro livros, Rafaela Carvalho é uma das mais influentes escritoras sobre maternidade na internet. O título se comprova pelos números de seguidores e textos compartilhados que a curitibana, de 34 anos, coleciona. No perfil @a.maternidade, no Instagram, onde boa parte do trabalho de Rafaela ganha notoriedade, mais de 320 mil pessoas acompanham os desabafos em forma de textos e fotos. Já no Facebook, os textos alcançam, corriqueiramente, marcas de 15, 20 mil compartilhamentos.


Zara, Cae, Ravi e Dom - Foto: Rafaela Carvalho - Arquivo pessoal


Além do alcance surpreendente na internet, o primeiro livro da escritora, o “60 dias de Neblina”, é considerado best-seller por se manter na lista dos mais vendidos do segmento, na Amazon. A obra trata dos desafios enfrentados pelas mães nos meses seguintes ao nascimento do bebê, o chamado puerpério, e as inúmeras transformações vividas nesse período. O livro e os textos nas redes sociais são baseados nas experiências pessoais da escritora, que é esposa do João e mãe de Caetano (15), Dominic (4), Zara (3) e Ravi (1).

Apesar de hoje ser reconhecida por seus textos, Rafaela conta que esse sucesso não foi premeditado, já que é nutricionista por formação. O vento começou a mudar de direção quando a escritora, com apenas 22 anos e um filho de 4 anos, se mudou para os Estados Unidos. Sem família no país, amigos ou qualquer outra rede de apoio, a escritora comemora o fato de não ter pensado nessas questões antes de tomar a decisão. “Havia perdido meu pai há três anos, minha mãe há dois. Tinha acabado de terminar um casamento. Me mudar era a minha chance de recomeçar a vida”, conta Rafa.

Já na terra do Tio Sam, trabalhou em diversas áreas, fez bicos de tradutora e chegou a estudar na faculdade, na tentativa de validar o diploma em Nutrição. Os rumos da vida, porém, a levaram mesmo para a escrita, prática que fazia parte da vida de Rafaela como um hobbie apenas. “Eu sempre consegui me expressar melhor escrevendo.  Quando eu precisava ter um papo mais sério com amigas, namorado, marido, eu sempre optava por fazer da forma escrita”, lembra a autora de “60 dias de Neblina”. 

Foi em 2015 que Rafaela compartilhou com o mundo o seu, até então, hobbie. Após o nascimento de sua terceira filha, Zara, Rafa decidiu postar um texto no Facebook e, em poucas horas, o conteúdo já havia sido compartilhado por cerca de 5 mil pessoas. Por dois anos os textos foram publicados apenas no Facebook e no Instagram, até que um dia uma sugestão para transformá-los em livro fez Rafaela agrupar todo o conteúdo compartilhado, escrever alguns novos e publicar sua primeira obra. 

O livro ganhou notoriedade com os textos sobre os conflitos e sentimentos pós maternidade.  Em pouco tempo, centenas de recém-mães fizeram da obra um manual de sobrevivência no puerpério. “Minha intenção, ao escrever o ‘60 dias de Neblina’, foi eternizar esse momento de alguma forma. Foi e tem sido maravilhoso”, comemora Rafa.

Capa do livro - Foto divulgação 




O momento a ser eternizado a que a autora se refere é o pós-nascimento da Zara, fase que serviu de inspiração para boa parte dos textos que estão no livro. A escritora lembra que enfrentou um baby blues muito forte e considera o terceiro puerpério o mais difícil.  Quando descobriu que estava grávida, o segundo filho, Dominic, tinha 4 meses e meio. “Teve o fato de Zara ter sido um bebê que chorava muito todo fim de tarde.  Era muito angustiante para qualquer pessoa que estivesse à volta assistir”, explica.

Zara e Rafa, que estava grávida de Ravi - Foto: Arquivo pessoal
Não à toa, dos quatro já escritos, o primeiro livro é o mais marcante para a autora. Além de relatar as dificuldades no baby blues e de ter sido o abre alas de sua nova carreira, Rafaela conta que o livro marca um processo de descoberta. “Precisei ter coragem para expor a minha vulnerabilidade e dizer: Está aqui, essa sou eu.  Olha aqui, mundo, é isso que passa no meu coração”, relembra. A escritora conta que esse foi o momento de revirar muitos sentimentos.

Logo depois do sucesso de “60 dias de Neblina”, Rafaela lançou mais três livros. Dois infantis, o “Princesas escalam montanhas?” e “Ninjas cuidam do jardim?” e, o mais recente, “Para mim e Para você”, obra que tem levado mães e filhos às lágrimas.

Além dos livros e textos, Rafaela é conhecida por alguns posicionamentos “na contramão” em determinados temas, como o uso da tecnologia digital por crianças. Os filhos menores da Rafa não usam tablets, nem celulares e a TV fica desligada por meses. Rafa entende que consegue adotar essa prática por algumas questões, uma delas é o fato de viver em lugar seguro. A família mora em uma casa em San Diego, na Califórnia. “Muitas vezes posso ir ao parquinho com meus filhos e trabalhar lá, no meu laptop, enquanto eles brincam”.

Zara e Dom praticando o livre brincar nas areais da Califórnia - Foto: Rafaela Carvalho - Arquivo pessoal

Outro assunto que por vezes é pauta, principalmente nos stories do perfil no Instagram, é a filosofia do livre brincar que Rafaela procura aplicar na educação dos filhos. A mãe dos quatro opta por uma rotina longe dos modelos tradicionais de escola que priorizam uma alfabetização precoce. “Eu acredito que na primeira infância a criança precisa descobrir a si mesma e o mundo. Entender o que seu corpo é capaz de realizar. Explorar e aprender a trabalhar a coordenação motora, a imaginação. E, para isso, a liberdade é muito importante”, explica.

A mãe da trupe confessa que gostaria de ter esperado um pouco mais para ter inserido uma escola na rotina dos filhos. “Queria ter colocado a partir dos 4 anos, mas não foi possível devido a minha realidade. Por sorte, encontrei uma escola que se aproxima da minha ideologia. Aqui, chamamos de play school, escola para brincar. Não é o meu ideal, mas foi o possível e sou feliz com as minhas escolhas”.

Diante da exposição das opiniões em assuntos como esses, não é raro comentários negativos. Para ela, “qualquer pessoa que tenha as redes sociais abertas e que esteja disposta a compartilhar suas ideias e dúvidas na internet vai receber ataques e comentários ofensivos”, pontua Rafaela. A autora conta que é fã de Brené Brown, professora norte-americana, e que adota algumas de suas colocações como filosofia para lidar com comentários ruins na internet. “Brené diz que quem está na arena dando a cara a tapa não deve e não pode se preocupar com comentários de quem não está na arena”, cita. “Hoje em dia, aprendi a bloquear. Não preciso me justificar e é assim que protejo a mim e minha família desse tipo de comentário”, completa Rafa.

Dominic e o pai João Foto: Arquivo pessoal


Informação X Culpa

Rafaela Carvalho faz parte de uma geração de mães superinformadas e admite que esse volume de informação pode trazer um peso desnecessário para as mulheres. “Hoje, sabemos que produtos orgânicos são melhores, sabemos da necessidade do filtro solar, sabemos do poder anti-inflamatório do alho, por exemplo. A gente sabe de tanta coisa que se torna humanamente impossível aplicar todas essas informações ao mesmo tempo no nosso dia, e, por não conseguir isso, nos sentimos culpadas, com a sensação de que poderia estar fazendo melhor”, avalia. “A informação, ao mesmo tempo que nos empodera, nos traz muita cobrança e muita culpa”, conclui. A escritora acredita que o equilíbrio entre o perfeito e o possível é a chave para viver um maternar com menos culpa e torce para que as próximas gerações encontrem esse ponto ideal.


Rafaela grávida de Zara - Foto: Arquivo pessoal


A aventura no motorhome


“A ideia era dar a volta ao mundo”, confessou Rafa. A família, que morou por quase oito meses em um motorhome, rodou por 36 estados nos EUA, em 2017.  Rafaela conta que ela e o esposo, João, sempre tiveram um espírito aventureiro e alimentavam o desejo de dar a volta no planeta, porém, os planos foram adaptados para realidade da família que conta com uma integrante de quatro patas, a cadelinha Peta. “Cada país tem uma legislação específica quanto à entrada de animais. Além disso, era inviável submeter a Peta a tantas horas de voo e translado”.

O motorhome que foi casa da família por quase oito meses

Ao todo, foram cinco pessoas e um cachorro morando sobre rodas, já que, na época, o casal ainda não tinha Ravi, que nasceu no ano seguinte. Rafaela garante que o maior desafio, ao contrário do que se possa imaginar, não era viver nas instalações mais compactas do motorhome, e sim o tempo integral de convivência em família. “Era um contato de 24 horas por dia, 7 dias da semana. Não rolava nem de ir ao mercado sozinha, já que só tínhamos o veículo como meio de locomoção. Foi muito difícil não ter uma folga da minha própria família, porque, sim, essa folga é necessária”, lembra.

A simpática cadelinha Peta Foto: Rafaela Carvalho - Arquivo pessoal


Fora a questão da convivência, Rafaela conta que uma das maiores lições aprendidas é que, ao sair da zona de conforto e ir para regiões distantes, pode-se enxergar nítidas diferenças culturais, políticas e religiosas. Para ela, é nesse momento que conseguimos entender alguns dos motivos das crenças e visões de determinadas regiões. “A gente tira um pouco do preconceito que, por vezes, criamos em nossas cabeças. Quando vemos a realidade dos lugares com os nossos próprios olhos percebemos que o buraco é muito mais embaixo”.

A família ainda mantém o desejo de viajar atrás de novas aventuras no motorhome, mas, agora, por períodos mais curtos. Cae, o filho mais velho, está na High School e, por isso, é necessário que a turma esteja mais fixa em um endereço, pelo menos por agora.

A trupe durante a viagem - Foto: Arquivo pessoal

Novos livros


No meio desse ano, Rafaela Carvalho lança seu quinto livro. Intitulado de “É fase”, a obra é uma continuação de “60 dias de Neblina”. Enquanto o primeiro narra o puerpério, as descobertas que a maternidade traz e todas as suas nuances emocionais, “É fase” foca na chegada de mais um bebê. O livro aborda os desafios da convivência em família, do “dar conta de tudo” e da saga pelo equilíbrio entre os muitos papéis de uma mulher.

Além do “É fase”, que já está quase na gráfica, Rafa lançará, em breve, mais dois livros. Um sobre equilíbrio digital, em parceria com a Roberta Ferec, do @mamas.sanas, e outro sobre parto, também em parceria com outras autoras.

Tudo indica que Rafaela vai encerrar o ano com sete livros lançados e muitos novos admiradores, já que seu trabalho tem sido uma prestação de serviço para muitas mães no Brasil. Não raras são as vezes em que expressões como “você descreveu tudo que eu estava sentindo”, “seus textos refletem a alma de uma mãe” e “precisava tanto ler isso” surgem na lista de comentários feitos por suas seguidoras nas redes sociais. As declarações mostram que tem neblina para todas, mas também tem a Rafaela, que deixa os 60 dias menos solitários.

Rafaela e o caçula, ainda recém nascido Foto: Arquivo pessoal


You Might Also Like

0 comentários

O que cê achou?